Holos Editora

Busca: 
invertebrados

Livros de outras Editoras » Meio Ambiente » -

 

Arcas à Deriva: Unidades de Conservação do Brasil

Autor: Marc Dourojeanni E Maria Tereza Jorge Pádua
Páginas: 350
Formato: 16 x 22
Encadernação: Brochura
Ano: 2013
Idioma: Português
ISBN:  9788561368371 
Edição: 1ª
Editora: Technical Books

Ver mais

R$77,00

Descrição do produto

O Brasil é um campeão no estabelecimento de unidades de conservação, se comparado a maioria dos outros países. No entanto comparado a esses países, o Brasil é um dos que pior conserva e que menos aproveita.

Os autores equiparam as unidades de conservação a uma arca do Noé. Nelas se protegem amostras da fauna e da flora, que são patrimônios da nação brasileira. Mas, diferentemente do patriarca Noé que segurou firmemente o timão da barca e conseguiu chegar a terra com sua carga sã e salva, os sucessivos governos brasileiros não sabem aonde ir com as unidades de conservação. Por isso estão à deriva.

Neste livro os autores não apenas caracterizam e criticam o fato, mas aportam as sugestões que permitiriam que as áreas protegidas do Brasil passassem a cumprir efetivamente o rol para o qual foram criadas.

Sumário
Siglas e Abreviaturas

Ainda existe um Paraíso na Terra
A ética de conservar amostras do Paraíso
A estética do Paraíso
Sobre a relatividade da beleza: a feiúra da Caatinga
Pode a carga da Arca beneficiar a humanidade
Mais sobre o porquê de construir arcas
Outro caso: A saíra apunhalada

Conceitos, preconceitos e atores
Mágica para salvar o mundo
Quem cuida do Paraíso
Socioambientalista
Palavras que enganam
Argumentos espúrios
Animais de estimação, direitos animais e meio ambiente
Passageiros pouco conhecidos das arcas

Habitantes do Paraíso
Dignos do Paraíso: índios isolados
Índios e índios no Paraíso
Nem para os índios, nem para o Parque
Desconstruindo o Paraiso
Quem conserva as arcas tropicais
O futuro indígena do manejo das florestas amazônicas
A linguagem do Paraiso

Cuidando das Arcas: poucos bons exemplos!
Canelas de emas no Parque do Cipó
Do Vagafogo ao SESC Pantanal
Ciência para cuidar melhor do Paraíso pantaneiro
A desocupação do Parque Nacional do Iguaçu
A lógica bem escondida das APA

Maus exemplos
Protegidas  Sem dinheiro e sem gente
Unidades de confusão
O truque das categorias
Superfluidade e unidades de conservação
Mil e um intentos de afundar arcas
Cicerone no Paraíso

Maltratando a Noé ou a dificuldade de se fazer uma arca
As arcas particulares
Vitimando as reservas particulares
É duro preservar!
Para melhor desmantelar o Paraíso
Experiência quase infernal
Escusas para acabar com as reservas privadas

Regras paradisíacas que nem o Senhor cumpre: política, legislação e instituições
Legislação para o Paraíso
Uma instituição para administrar o Paraíso
Mal entendidos jurídicos sobre a ecologia e o Paraíso
Outros atores no Paraíso

Os sábios e as arcas
As call girls
Ciência perigosa
Pesquisa certa, conclusões erradas
Falta imaginação à Academia
Ideias para teses
Xenofobia
Mais sobre piratas e biopiratas

Heróis e anti-heróis na luta pelo Paraíso
A importância dos botecos
Desculpa ambiental
Da botica ao mato
Um gringo especial
Meu vizinho
O que brilha nem sempre é ouro
O almirante verde
Mortes e mortes
Vila Sônia e repouso do guerreiro
Os novos heróis ambientais
Sabiá.... a ave do Paraíso

Juízo Final: entre o Céu e o Inferno
Crescei e multiplicai-vos!
Recomendações para sobreviver amanhã
Natureza artificial
E as arcas do Paraíso

Para terminar

Referências Bibliográficas

Contato | Formas de Pagamento | Formas de Entrega | Quem Somos | Política de Troca | Segurança